quinta-feira, 10 de outubro de 2019

Como trabalhar no Senado?

Para ingressar no Senado como servidor de carreira é necessário prestar concurso público. 

Concurso do Senado

Atualmente há um concurso autorizado para o órgão com oferta inicial de 40 vagas imediatas e oportunidades em cadastro de reserva.

Deste total, de 40 vagas, 24 delas serão destinadas ao cargo de Técnico Legislativo, na especialidade de Policial Legislativo, que exige apenas nível médio e oferece salário de R$ 19.573,46.

Já para o nível superior, as oportunidades serão divididas entre os cargos de Advogado e profissionais com formação nas áreas de: Administração, Arquivologia, Assistência Social, Contabilidade, Enfermagem, Engenharia do Trabalho, Engenharia Eletrônica e Telecomunicações, Informática Legislativa, Processo Legislativo e Registro e Redação Parlamentar. Os vencimentos vão de R$ 25.764,85 a R$ 33.003,05.

A concorrência para os cargos do Senado costuma ser grande, portanto, é interessante que você não espera a publicação do edital para iniciar sua preparação. É possível montar um plano de estudos baseado nos últimos editais de concursos.

Para o cargo de Policial Legislativo, por exemplo, no concurso de 2012 os concorrentes foram avaliados com uma prova de múltipla escolha contendo 70 questões, sendo: língua portuguesa (20); conhecimentos gerais (10); noções de informática (30) e conhecimentos específicos (30). O total da prova era de 120 pontos, sendo as disciplinas de língua portuguesa e conhecimentos específicos com mais peso – 2 por questão. Era necessário alcançar o mínimo de 50% do total de cada disciplina para ser aprovado.

Na disciplina de língua portuguesa foram avaliadas habilidades dos candidatos quanto à leitura e análise de textos, estruturação do texto e dos parágrafos, articulação do texto: pronomes e expressões referenciais, nexos, operadores sequenciais. E também significação contextual de palavras e expressões. Interpretação: pressuposições e inferências; implícitos e subentendidos. Variedades de texto e adequação de linguagem. Equivalência e transformação de estruturas. Discurso direto e indireto. Sintaxe: processos de coordenação e subordinação. Emprego de tempos e modos verbais. 

Pontuação. Estrutura e formação de palavras. Funções das classes de palavras. Flexão nominal e verbal. Pronomes: emprego, formas de tratamento e colocação. Concordância nominal e verbal. 

Regência nominal e verbal. Ocorrência de crase. Ortografia oficial. Acentuação gráfica. Redação Oficial (Manual de Redação da Presidência da República e Manual de Elaboração de Textos do Senado Federal).

Também foi realizada uma etapa de avaliação discursiva, contendo redação com mínimo de 25 linhas e máximo de 30 linhas; e questão com máximo de 30 linhas. O total desta fase era de 40 pontos e passava para ela o quantitativo de 15 vezes o número de vagas ofertadas na época.

Nenhum comentário:

Postar um comentário