sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020

10 dicas de livros para pedagogos

Ler pode ser considerada uma atividade necessária para qualquer área de formação e para quem faz faculdade de pedagogia então, nem se fala.

Para dar aquela forcinha tanto para quem está se preparando para ingressar na profissão, seja por meio de pedagogia ead ou presencial, e precisa entender a rotina escolar, quanto para quem já vive nela e quer se aprofundar sobre o assunto, separamos abaixo 10 dicas de livros que vão complementar a formação de pedagogo.

pedagogia ead

1.    As Cem Linguagens da Criança: Volume 1: A abordagem de Reggio Emilia na Educação da Primeira Infância, de Carolyn Edwards, Lella Gandini e George Forman


Reconhecida como um dos melhores sistemas educacionais do mundo, a experiência educativa para a primeira infância realizada em Reggio Emilia, na Itália, traz uma abordagem inovadora.

O livro traz reflexões dos educadores italianos responsáveis pela implantação do sistema, bem como impressões dos norte-americanos que lá estudaram.

2.    As Cem Linguagens da Criança: Volume 2: a Experiência de Reggio Emilia em Transformação, de Carolyn Edwards, Lella Gandini e George Forman


Com novos capítulos, o volume 2 do livro mostra como a perspectiva inovadora de educação de crianças de zero a seis anos modificou-se em resposta às transformações demográficas e políticas da comunidade e às novas gerações de educadores e pais. 

3.    Alfabetização em Processo, de Emília Ferreiro


Escrito há vinte e cinco anos, aprofunda um aspecto importante no processo de construção da leitura e escrita: problema cognitivo envolvido no estabelecimento da relação entre o todo e as partes que o constituem.

O livro mostra como a criança assimila as informações disponíveis e como interpreta textos escritos antes de compreender a relação entre as letras e os sons da linguagem.

4.    Afinal, O Que Os Bebês Fazem no Berçário? – Comunicação, autonomia saber-fazer de bebês em um contexto de vida coletiva, de Paulo Fochi


Neste livro, Paulo Fochi traz uma narrativa de dentro do universo dos bebês. Por meio da abordagem da documentação pedagógica, torna visíveis suas aprendizagens em contextos de vida coletiva: os primeiros passos, os encontros com os amigos, a descoberta do seu entorno.

5.    Professora Sim, Tia Não – Cartas a Quem Ousa Ensinar, de Paulo Freire


Autor obrigatório para qualquer pedagogo, Paulo Freire traz, neste livro, uma discussão sobre a profissão, tão necessária nos dias de hoje, repleta de elementos de reflexão para seu crescimento e valorização profissional.

6.    O trabalho Docente – Avaliação, valorização, controvérsias, de Bernadette A. Gatti


A coletânea traz a análise de aspectos pedagógicos e sociais do ensino da língua portuguesa tendo como base a prática em sala de aula.

7.    A Organização do Currículo por Projetos de Trabalho – O conhecimento é um caleidoscópio, de Fernando Hernández e Montserrat Ventura


Este livro descreve os princípios e as práticas da organização do currículo a partir de projetos, através das reflexões e da experiência de Fernando Hernández, a maior autoridade atual nesta proposta pedagógica.

8.    O Dia a Dia das Creches e Pré-Escolas – Crônicas brasileiras, organização de Ana Maria de Araújo Mello


O livro reflete as orientações didáticas para diferentes situações educativas disponíveis aos educadores brasileiros e vislumbra caminhos e possibilidades de se construir uma educação infantil de qualidade em nosso país. Conta com a experiência de dezenas de educadores e técnicos das creches da Universidade de São Paulo.

9.    A Matemática em Sala de Aula – Reflexões e propostas para os anos iniciais do Ensino Fundamental, de Katia Stocco Smole e Cristiano Alberto Muniz


A edição reúne autores comprometidos não somente com a geração de conhecimentos, mas com a formação inicial e continuada de professores. Foi concebido pensando no professor que trabalha todos os dias a matemática em sala de aula, para ser fonte de conhecimento e reflexão prática.

10.  A Prática Educativa – Como Ensinar, de Antoni Zabala


Clássico da pedagogia ativa e construtivista, é ideal para que os aprendizes possam entender seu papel como planejadores e organizadores de conteúdos de ensino, assim como gestão do tempo e espaço de sala de aula.

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2020

A carteira da OAB é válida fora do Brasil?

Se você está focado no Exame OAB 2020, pode ficar com algumas dúvidas sobre a carteira da Ordem dos Advogados do Brasil. Por isso, hoje vamos esclarecer suas perguntas sobre a atuação de advogados brasileiros em territórios internacionais. Assim como acontece no Brasil., diversos países estabelecem rígidas regras sobre essa atuação profissional em seus territórios. Entre os mais rigorosos estão a China e o México. Mas há outros com maior flexibilidade em sua legislação, como a Polônia e a Noruega. Então, você já deve ter percebido que, se o seu foco é fazer o Exame OAB 2020 e ir para outro país, precisa escolher bem o seu destino.

curso exame de ordem


É importante lembrar que a OAB do Brasil tem um convênio com a Ordem portuguesa. Sendo assim, é permitido que os advogados brasileiros consigam o registro local sem ter que passar por novos exames e estágios. Ou seja, você faz um curso OAB no Brasil, garante a aprovação no Exame OAB 2020 e já pode embarcar para trabalhar em terras portuguesas. E, Portugal se torna a porta de entrada para a Europa. Então, trabalhando em Portugal, o advogado ou advogada conseguirá exercer a profissão mais facilmente nos demais países da União Europeia.

Porém, para iniciar os trabalhos em Portugal, é necessário que haja um escritório de advocacia interessado na sua contratação. Serviria como uma espécie de “apadrinhamento” do seu pedido. E, é claro, há etapas de documentação para conseguir o registro na Ordem dos Advogados de Portugal.

Como garantir a aprovação no Exame de Ordem?


Agora você já sabe como exercer sua profissão fora do território brasileiro. Porém, antes de pensar nisso, é preciso garantir a aprovação no Exame OAB 2020. E para isso, você precisa contar com um curso OAB. Na hora de procurar pelo melhor preparatório, é preciso observar alguns detalhes que fazem toda a diferença. Para começar, o curso OAB precisa te oferecer conteúdos tanto para a primeira fase quanto para a segunda etapa. Afinal, se você está apostando em um preparatório é porque quer passar já na primeira tentativa.

Como as edições da OAB estão cada dia mais difíceis, você precisa sentir o nível de dificuldade da prova antes de estar valendo a sua nota. Então, precisa responder questões das provas passadas, começando pelas edições mais recentes. E você encontra curso OAB com uma plataforma específica de questões, assim, você consegue economizar e ainda não corre o risco de ter acesso a perguntas desatualizadas ou que foram anuladas porque continham algum erro.

Se conseguir, sempre peça um teste dos materiais utilizados pelo curso online, assim, você consegue conhecer a metodologia e conferir se ela se adapta ao seu dia-a-dia, e também, ao seu objetivo. E mesmo que seja preciso investir dinheiro em um preparatório, ainda vale a pena. Porque ele será responsável por encurtar o seu caminho até a aprovação no Exame de Ordem e por permitir que você esteja disponível no mercado de trabalho com antecedência. E esse valor investido poderá ser recuperado já no primeiro mês de salário.